Indicação de leitura da semana: “As Viagens de Gulliver”

Olá queridos e queridas leitores(as)!

Bem, hoje vim fazer uma indicação de leitura da semana. Esse post, que estarei fazendo em todas as quartas-feiras, consiste em fazer uma indicação de um livro que eu gostei muito e que quero compartilhar com todos vocês, com a publicação da resenha, nas sextas-feiras, que farei de cada um dos livros que indicar.

O livro que indico nessa semana se chama “Viagens de Gulliver” ou em outras edições “As Viagens de Gulliver”, grande diferença de títulos, não? Um livro que é conhecido mundialmente, e que li no início desse ano. Não se preocupe se você ainda não conhece ou conhece esse livro e deseja saber mais, estarei fazendo a resenha dele nesta sexta-feira.

Abaixo estão algumas informações sobre o livro:

viagens-de-gulliverAutor: Jonathan Swift

Editora: Rocco

Tradução: Clarice Lispector

Ilustração: Mario Alberto

Sinopse: “[…] Em suas “Viagens a diversos países remotos do mundo em quatro partes”, o cirurgião naval Lemuel Gulliver, vítima de um naufrágio durante uma terrível tempestade no mar, no ano de 1699, relata suas experiências em terras diferentes e inimagináveis. Único sobrevivente da tripulação do Antelope, o jovem Gulliver é levado pelas ondas até a desconhecida Lilipute, uma ilha habitada por seres minúsculos que se imaginavam o centro do universo e viviam em guerra por motivos tão fúteis quanto… a forma correta de se quebrar um ovo.

Mas a estranheza de Gulliver aos liliputianos aos poucos cede lugar para uma troca de experiências que leva o médico inglês a questionar os valores da sua terra natal a cada volta para casa. Afinal, Lilipute é apenas a primeira parada das muitas viagens de Gulliver, “a princípio cirurgião e mais tarde capitão de vários navios”. Em sua jornada pelos mares, ele ainda conhecerá lugares e povos tão estranhos quanto Laputa, Broddingnog, habitado por gigantes, e o país dos Houyhnhnms, governado por cavalos que procediam como criaturas racionais.

Em sua bela adaptação do clássico de Jonathan Swift, Clarice Lispector deixou um tesouro para várias gerações de leitores brasileiros, que têm agora a oportunidade de descobrir, ou redescobrir, uma das obras fundamentais da literatura universal. Um livro de aventura, sem dúvida; mas repleto de reflexões sobre a condição humana e críticas à sociedade européia da época, bem ao gosto satírico do escritor irlandês, que foi uma das grandes inspirações do nosso genial Machado de Assis. Mais atual, impossível.”

(na verdade, não é bem a sinopse e sim o que é dito desse livro no site da editora Rocco, pois no livro que tenho não tem a sinopse e este foi um dos únicos lugares em que achei uma explicação melhor da história contada nesse livro)

Fonte: Site da editora Rocco.

Existem várias editoras que também têm esse livro no seu catálogo, eu, por exemplo, li a edição que era um dos livros da Série Reencontro, da editora Scipione, mas acho que não há grandes diferenças de uma edição para outra de outra editora, assim você pode escolher qual edição prefere comprar (na resenha colocarei os lugares onde você pode adquiri-lo).

Pessoalmente, achei esse livro muito interessante e que faz uma grande reflexão que todas as pessoas deveriam fazer, ele faz boas criticas e é uma bom livro que nos faz reconhecer que muitas coisas que fazemos e pelas quais brigamos são inúteis e sem fundamentos. Tendo uma boa porção de aventura temperado com uma grande reflexão. Questionando muito dos hábitos e atos dos seres humanos daquela época em que o livro foi escrito, e também que ainda continuam hoje em dia.

Mais informações na resenha que farei nesta sexta, espero que gostem 😉

Beijos e abraços!

E até o próximo post…

OBS: Se já leu, conte-me sua experiência ao ler esse livro nos comentários.

Anúncios