Indicação de Leitura Semanal: A Menina Submersa, de Caitlín R. Kiernan

Olá, queridas pessoas que estão lendo este post!

Além da continuação do “Descubra que tipo de leitor você é”, hoje também teremos mais uma indicação de leitura para a semana. E a indicação da semana vai para… “A Menina Submersa: Memórias”! Ainda estou lendo ele, mas desde o início percebi que essa seria uma leitura diferente de tudo o que já havia lido antes, e não era nada do que eu esperava que ele fosse. Quando o comprei na livraria, achava que seria mais um daqueles livros de terror/suspense, mas não, a história é bem mais complexa do que isso e mais confusa do que imaginava, para ser mais especifica, é um livro dentro de outro livro, ou seja, é a autora contando sobre a personagem principal que também estava fazendo um livro, calma, na resenha que farei na sexta vou explicar melhor isso.

Uma novidade: A Editora Darkside vai estar lançamento a edição desse livro em capa dura no mês de junho.

Por hoje é só o que falarei a respeito dele, abaixo mais algumas informações:

capa-a-menina-submersa-memorias-caitlin-kiernan-darksidebooksTítulo original: The Drowning Girl: Memories

Autora: Caitlín R. Kiernan

Editora: Darkside

Páginas: 320

Lançamento: Edição brochura – 2014, edição capa dura – 2015

Gênero: Literatura Estrangeira, Ficção Científica

Tradutoras: Ana Resende e Carolina Caires

Sinopse:

A Menina Submersa: Memórias é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do “real” sobre o “verdadeiro” e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma “obra-prima do terror” da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards 2013.wpid-screenshot_2015-05-13-14-21-03.jpg

O trabalho cuidadoso de Caitlín R. Kiernan é nos guiar pela mente de sua personagem India Morgan Phelps, ou Imp, uma menina que tem nos livros os grandes companheiros na luta contra seu histórico genético esquizofrênico e paranoico. Filha e neta de mulheres que buscaram o suicídio como única alternativa, Imp começa a escrever um livro de memórias para tentar reconstruir seus pensamentos e lutar contra o que seria “a maldição da família Phelps”, além de buscar suas lembranças sobre a inusitada Eva Canning, sua relação com a namorada e consigo mesma, que evoca em muitos momentos a atmosfera de filmes como Azul é a Cor mais Quente (Palma de Ouro em Cannes, 2013) e Almas Gêmeas (1994), de Peter Jackson.

Não se assuste: é um livro dentro de um livro, e a incoerência uma isca para uma viagem mais profunda, onde a autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e HP Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial – na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa – , e sabem que o medo real nos habita. Caitlín dialoga ainda com o universo insólito de artistas como P.G. Wodehouse, David Lynch e Tim Burton, e o enigmático personagem Sandman, de Neil Gaiman, com quem aliás, trabalhou, escrevendo The Dreaming, spin-off derivado da obra-prima de Gaiman. A Menina Submersa evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.

Fonte: Site da editora Darkside.

Então é isso, espero que tenham gostado. Alguém já leu ou têm interesse em ler esse livro? Me conte nos comentários, estou curiosa para saber o que acharam 😉

Abraços e até o próximo post…

Anúncios