[Resenha] O Diário de Anne Frank

diariodeannefrankAutor: Anne Frank (edição definitiva por Otto H. Frank e Mirjam Pressler)

Editora: Record

Tradutor: Alves Calado

Páginas: 416

Sinopse: O depoimento da pequena Anne Frank, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã, ainda hoje emociona leitores no mundo inteiro. Seu diário narra os sentimentos, os medos e as pequenas alegrias de uma menina judia que, como sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocausto.

Lançado em 1947, O diário de Anne Frank tornou-se um dos livros mais lidos do mundo. O relato tocante e impressionante das atrocidades e dos horrores cometidos contra os judeus faz deste livro um precioso documento e uma das obras mais importantes do século XX.

Fonte: Site da Editora Record.

O que falar do livro que foi escrito por uma menina entre seus 13 e 15 anos, que emocionou, e ainda emociona, milhões de pessoas pelo mundo inteiro, que relata uma parte da vida de uma judia que passou dois anos de sua vida se escondendo, tentando fugir dos nazistas?

O livro conta, em forma de diário, a história de Anne, uma menina judia, porém normal como todas as outras de sua idade, que tinha família, amigos, admiradores, e sonhos. Nele ela descreve muitos momentos de sua vida, bons e ruins. E apresenta, aos poucos, cada um que fez parte de sua história, desde seus colegas de classe até a sua família.

Durante a 2º Guerra Mundial, assim como muitas famílias judias, a família Frank tentou se esconder dos nazistas, e nomearam seu esconderijo de Anexo Secreto. Junto deles também estavam presente os van Daan, e o sr. Dussel, um dentista. Em seu diário, Anne descreve vários desses momentos passados junto dessas outras pessoas, além de expressar seus sentimentos e decepções. Pessoas que muitas vezes, de acordo com ela, não lhe deram a atenção devida e nem o apoio de que necessitava, o que a fez crescer e se tornar mais independente.

Não se pode proibir ninguém de ter opinião, não importa se a pessoa é muito jovem! A única coisa que ajudaria a Bep, Margot, Peter e a mim seria um grande amor e dedicação, coisa que não recebemos.– Pág 250

A que no início era apenas uma garotinha com medo e aflita, e que passava noites inteiras chorando, ao longo do tempo, se tornou uma moça, com mais entendimento e opinião própria. Algumas vezes porém, um tanto orgulhosa e egoísta. Mas nem por isso ela deixou de perceber o quanto estava levando uma vida de luxo em comparação com os outros judeus, que estavam sendo maltratados nos holocaustos.

wpid-2015-07-21-01.54.14-2.jpg.jpeg

Vamos então à minha opinião… Bem, não tenho do que reclamar. Esse livro acabou se tornando um grande relato da 2º Guerra Mundial. É algo extremamente pessoal da Anne, que nos revela muito sobre a pessoa que ela era e o que se tornou. Não é uma história semelhante às outras as quais estamos acostumados.

É um livro ao mesmo tempo fácil e difícil de se ler, pois começamos a nos sentir angustiados e ansiosos assim como os participantes da história, mas nada em comparação com o que eles deviam estar sentindo. Muitas vezes me senti irritada por causa da Anne repetir as mesmas histórias de brigas, desentendimentos com sua mãe, Edith, se sentir feliz em um dia e depressiva no outro. Mas considero isso algo totalmente compreensível devido à situação em que ela se encontrava.

Anne é maluca, mas estes são tempos malucos, e as circunstancias são ainda piores.” – Pág. 272

Em geral, uma ótima leitura, a qual deveria ser lida por todas as pessoas. Ela nos leva a refletir sobre inúmeros temas.

Como posso me sentir triste enquanto isso existir, pensei, esta luz e este céu sem nuvens, e enquanto eu puder desfrutar essas coisas?– Pág. 244

Como podemos ficar tristes quando temos tantas coisas boas ao nosso redor, Deus nos permitiu estar vivos e com saúde, isso já é o suficiente! E foi algo que me fez pensar muito e rever minhas atitudes, exatamente o que a Anne disse para fazermos em outra passagem. E com relação a essa edição linda de capa dura… Não tenho o que comentar, realmente muito fofa! O único problema é na hora da abertura do livro para a leitura, que é quando devemos ter cuidado para não afetar a lombada e/ou a capa.

Recomendo esse livro, sem sombra de dúvida, a todos, tanto a crianças como a adultos!

Classificação: ⭐⭐⭐⭐⭐ (muito bom!)

Espero que tenham gostado! Alguém mais já leu esse livro? O que achou?

Beijos e abraços!

Anúncios