[Resenha] A Casa Assombrada, de John Boyne

13552_gAutor: John Boyne

Tradução: Henrique de Breia Szolnoky

Editora: Companhia das Letras

Ano de publicação: 2015

Páginas: 296

“Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio de um tal H. Bennet. Ele busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk – sem, no entanto, mencionar quantas são, quantos anos têm ou dar quaisquer outras explicações. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior. Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. Ela logo constata que não há nenhum outro adulto na propriedade, e a identidade de H. Bennet permanece um mistério. A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mas todos a evitam. Nesse meio-tempo, fica intrigada com janelas que se fecham sem explicação, cortinas que se movem sozinhas e ventos desproporcionais soprando pela propriedade. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer…

“Uma aventura que irá encantar os fãs de Dickens e intrigar qualquer um que tenha coragem de seguir os passos de Eliza.” – The Daily Express

Fonte: Site da editora Companhia das Letras http://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=13552

.

11016695_629003257245231_1053119227_nEm primeiro lugar, eu já tinha gostado muito da capa só de ver na internet, até que meu livro chegou e eu pude sentir a textura da capa, simplesmente incrível, fiquei com a maior vontade de ficar acariciando ela, pena que não pude porque os dedos ficam  um pouco marcados na capa, mas ainda assim é incrível. Isso sem contar as páginas amarelas com letras pretas e super confortáveis de se ler.

Mas confesso que fiquei triste ao terminar, queria tanto que tivesse continuação, aquele último capítulo misterioso me deixou muito curiosa…

Devo admitir que gostei muito desse livro, e apesar de John Boyne ter demorado um pouco no início acho esse um ponto muito importante para entendermos o que se passava antes de tudo acontecer e chegar ao ponto que ele quer nos levar. Com uma narração em primeira pessoa, sendo Eliza Caine a narradora-personagem, ele nos envolve nessa leitura a tal ponto que sentimos que fazemos parte da história, nos fazendo quase sentir totalmente o que Eliza sente, nos assustando e emocionando conforme o que acontece na história.

Se eu começar a fazer eu mesma um resumo da história, temo contar algumas coisas a mais e revelar um pouco do mistério o que não seria muito legal da minha parte, então deixo isso por conta da sinopse onde já explica bem o que se passa na história. Uma passagem que considero bem interessante é essa:

“[…] “É um dos aspectos decepcionantes de ficar mais velho. Temos mais medo e, por isso, fazemos menos coisas.” – Pág. 182

image

Mas já devo ir avisando que tem umas boas partes que nos dão calafrios, o objetivo do autor não era necessariamente nos assustar, , e sim algo bem mais profundo, mas algumas partes podem ser bem sinistras. Eliza Caine estava solitária após a morte de seu pai e vê uma chance naquele anúncio, até que chega na casa e se depara com só duas crianças em uma grande mansão, muitos a evitam e olham de jeito estranho, ninguém lhe conta mais nada sobre essa família… acho que já devemos saber que vem coisa por aí… janelas lacradas abrindo-se, ventos fortes vindos de repente, portas se trancando…  mas o final pode ser bem surpreendente com grandes descobertas ao longo do livro. Com algumas partes bem emocionantes que tive que me segurar muito para não começar a chorar.

Não conhecia muito sobre John Boyne, só tinha ouvido falar dele e assistido o filme do livro de sua autoria, O menino do pijama listrado. Mas agora, depois de ter lido A Casa Assombrada, uma coisa eu posso afirmar, ele é um ótimo escritor e apesar de essa ser sua primeira obra falando de fantasmas e tal, ele a escreveu muito bem, mesmo eu não tendo gostado de umas coisinhas a história em si é muito boa e passa uma mensagem bem interessante e que nos faz refletir.

Classificação: 4,5/ 5

Abraços e até o próximo post…

Anúncios