[Resenha] O médico e o monstro, de Robert Louis Stevenson

9788526277557

Autor: Robert Louis Stevenson

Adaptador: Edla Van Steen

Editora: Scipione

Páginas: 88

Sinopse: Na Londres do final do século xix, o dr. Henry Jekyll descobre uma poção capaz de desdobrar uma pessoa em seus lados positivo e negativo, tanto física quanto psicologicamente. Ele passa a tomá-la e, sob a ação da bebida, transforma-se no sr. Hyde, um indivíduo repugnante que sai pelas ruas cometendo crimes e atrocidades. Recorrendo cada vez mais frequentemente à poção, o dr. Jekyll acaba por se entregar mais e mais aos seus baixos instintos, até tornar-se difícil para ele controlar sua transformação. Que fim terá essa história?

Fonte: Site da Editora Scipione

Mr. Utterson era um advogado, aquele para o qual Dr. Jekyll entregou seu testamento. Documento que dizia que todas as posses do médico iriam para Mr. Hyde caso ele viesse a falecer, algo estranho, para o advogado, que já havia visto o tal Mr. Hyde e tivera uma sensação de repugnância pelo mesmo, ainda mais após saber que esse homem havia pisoteado uma garotinha, por sorte, não a machucando seriamente.

Deve haver alguma coisa a mais’, pensou o perplexo advogado. ‘Alguma coisa que não sei definir. Que Deus me perdoe, mas aquele homem [Mr. Hyde] não parece humano. Pobre Henry Jekyll! Se um dia eu li a assinatura de Satã num rosto, foi no seu novo amigo. – Pág. 17

E quem imaginaria que Mr. Hyde e Henry Jekyll eram a mesma pessoa?! Tudo fruto de uma experiência do médico, que ousou separar o seu lado mau do seu lado bom, algo que deu muita confusão. Centrando-se a estória nas “investigações” de Mt. Utterson a respeito desses acontecimentos tão estranhos e lamentáveis.

Aliás, o mal (que ainda sou levado a crer, constitui o lado letal do homem) deixara naquele corpo uma marca de deformidade e podridão.” – Pág. 67

wpid-2015-10-09-14-09-44_deco-1-1-1.jpg

Essa é uma edição um pouco mais antiga do que a da ilustração anterior.

Apesar de ser um livro pequeno, nele há uma grande história. Uma narrativa do gênero terror, se aproximando mais, na verdade, do gênero mistério, que gerou uma harmoniosa e maravilhosa junção.

– Nunca vou me recuperar de um choque que tive – disse [Dr. Lanyon]. – É uma questão de semanas. Afinal, até que viver foi agradável. Gostei. Sim, meu caro, gostei. Às vezes penso que, se soubéssemos tudo, ficaríamos contentes de ir embora deste mundo.” – Pág. 35

Senti que, nessa adaptação (creio que na original não), o desenvolver da estória se passou muito rápido, o que gerou uma leitura rápida, mas que ao mesmo tempo pode nos levar a pensar que está perdemos algo, que não conseguimos captar todas as informações (digo, isso no meu caso, que passou voando pelas páginas).

Uma estória que, de fato, nos leva a refletir. Parar e pensar nos nossos lados do bem e do mal, e essa briga que há entre os dois. É um clássico, e como todo bom clássico, é uma leitura que vale a pena. Não tenho muito o que dizer sobre esse livro, nem tenho do que reclamar. Recomendo-o aos que gostam do gênero, e a todas as outras pessoas.

Classificação: ⭐⭐⭐⭐⭐ (+❤)

Espero que tenham gostado! Não esqueçam de comentar e dizer o que acharam, se já leram esse livro ou não, eu ficaria realmente muito feliz em saber! 😉

Beijos e abraços!

Anúncios